Doação imobiliária em vida é mais barato

A falta de planejamento pode pesar muito no bolso da família na hora de dividir o patrimônio após a morte.

De acordo com as imobiliárias, a partilha pode ser feita ainda em vida, por meio de doação ou de um plano de previdência privado, ou após a morte, com ou sem testamento, por meio de um inventário.

Geralmente a partilha feita em vida é mais barata. Planos de previdência privada são transferidos automaticamente para os beneficiários, sem custo algum além do IR que incide sobre o resgate.

Casas para alugar em Londrina e região

As doações são isentas de IR quando o valor de avaliação do bem que será doado não sofre variação da Declaração de Bens e Direitos do beneficiário em relação à Declaração de Bens e Direitos do doador no ano anterior. Caso o bem doado sofra valorização, é preciso pagar IR de 15% sobre a diferença.

Cada doação feita em vida pressupõe também o pagamento de um tributo estadual chamado Imposto de Transmissão Causa Mortis e Doações (ITCMD), que geralmente é de 4% sobre o valor do bem, mais o pagamento de taxas para escritura e registro em cartório, no caso dos imóveis.